sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Lembranças

Não sei...
As vezes me vem, vagamente a memória, lembranças de estar há vários dias em uma...
Parece-me uma antiga estação de trem...
Uma certa confusão... fazia um frio de rachar, várias pessoas passando, rostos desconhecidos... E eu nem sabendo o que estava fazendo lá.

É como se não tivesse para onde ir...

Em alguns momentos durante o dia, o movimento aumentava... pessoas caminhando apressadas... muito barulho... e durante a noite, silêncio, apenas uma ou outra pessoa que passava em passos largos...

O que eu estava fazendo naquele lugar ?...
Sentia-me queimar o estômago e meus dentes batiam de frio.
Eu não sabia onde estava, nem porque estava ali, eu simplesmente estava.

Quando me dei por mim, ali naquela estação, revirei meus bolsos e só encontrei algumas moedas e um velho bilhete de metrô.
E nesse exato momento foi que tentei lembrar meu nome, pelo menos o meu nome... e constatei apavorado que nem meu nome eu lembrava.

O que eu estava fazendo ali ? Por quê ? Há quanto tempo eu estava vagando por aquela estação? Qual era o meu nome ? Qual era a minha idade ?...

Perguntas, perguntas, perguntas que não cessavam...

Lembro-me agora que durante 3 dias aproximadamente, essas perguntas me atormentaram a alma...
Mas chegou um ponto em que a angústia me tomou por inteiro. Impediu-me de continuar a raciocinar e simplesmente, parei de pensar...

E continuei a vagar por aquela estação, tentando apenas sobreviver...
Pegando restos de comida pelas lixeiras para me alimentar e andando...
... andando para não me lembrar... andando para não congelar meus frios e úmidos pés.

6 comentários:

MaxReinert disse...

Nossa... sensação ruim por demais!!!!! Não quero não! rsss

Adriano Queiroz disse...

Eu vi seu personagem. Ele está agora na minha mente a catar restos na estação.
Quando o leitor se apropria do texto, incorpora-o, é um sinal de qualidade.
Gostei muito.
Maravilha!

Abraços.

Vâmvú disse...

Max, brigadão pela tua presença por aqui. Abração

Adriano, não tenho nem como agradecer por tuas palavras. Brigadão. Abração.

Adriano Queiroz disse...

Nossa como viajamos com o texto.
Imaginei uma cena totalmemnte diferente.
Fui pra outro lugar com suas palavras.
Agora estou fazendo relações com aquilo que pensei e com o que vc viveu. Interessante.

Abraços

guillermo esteban velasquez disse...

increible o espacio tem muitas coisas afins a mihin. abrazos guilhermo desde cordoba argetnian

Vâmvú disse...

Guillermo, muchas gracias por su visita. Abrazos.