sábado, 1 de novembro de 2008

Despedida




A busca frenética
Hermética.
O mundo aqui fora
Lá dentro a vida...
Ou vice-versa.
Não há mais saída.
Não há mais sorrisos
Não há mais alegria
Não há mais tempo...
Simplesmente,
Queria te ver...
...mais uma vez.

8 comentários:

tossan disse...

Muito bonita essa tua busca! Abraço

Valéria disse...

há um trecho em um site sobre Clarice, em que várias personalidades falam dela... pra mim , ele a define(se é que isso é possível), é este: "Com seus olhos felinos abertos de soslaio sobre o mundo, Clarice Lispector permaneceu sempre perto do coração da vida, selvagem como a natureza agreste de sua infância em Pernambuco, diferente, inaugural e transgressora, se autocriando e autodevorando como um sol que ilumina enquanto queima a si mesmo, e que aquece porque se consome"
me lembra estas buscas loucas de algo que não é nós...mas é.
viajei? rs eu viajo mesmo...
um beijo

às vezes a solução é criar fora o que vem lá dentro... arte escrita ou coisada...

Van disse...

Querido, SEMPRE HÁ MAIS!
Alegria, sorrisos, tempo....
VIDA! AMOR! Sempre há mais!
Coração é músculo que se regenera,
você não sabia?

Beijucas

Vâmvú disse...

Tossan, super obrigado pelo coment. Abração.

Valéria, adoro tuas viajens. Sempre muito produtivas. Sempre muito poéticas. Bjão.

Van, adoro o teu altíssimo astral, sempre. Tuas colocações sempre pontuais e perfeitas.
Sei sim que o coração regenera sim...mas é preciso de um aliado pra isso, que é o Sr. Tempo... não se preocupe, o "exercício" de se poetizar ajuda muitooooo... (rs). Bjão

SIMONE GOIS disse...

Olá
Passo pra conhecer teu trabalho
A busca frenética, nos tira muito.
Gostei demais
abraço
simone
vou te linkar pra acompanhar

Vâmvú disse...

Olá Simone. Obrigado pela visita e pelo coment. Vou lá te visitar também. Bjs.

Robson disse...

Esse tema é sempre doloroso né?!
legal demais aqui, obrigado pela visita.
Abraço

Vâmvú disse...

Não tem nem como não ser, Robson.
Brigadão. Abçs.