quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Natimorto


Tivesse sido prematuro o nosso amor
ou talvez, quem sabe...
simplesmente abortado.
.
Antes, pudesse ser só amor...
...um amor natimorto.

Não precisaria assim,
meu coração,
ter sido dessa forma destruído.

9 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Se destruido, mas vivo, há sempre chance de resgate.
Cadinho ROco

Adriano Queiroz disse...

Não sei o que dizer.
Quantos amores natimortos deve ocorrer sem que percebamos?

Abraços.

tossan disse...

Todos nós, ocorre a todo instante. Gostei muito! Abraço

Valéria disse...

"Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você, eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende?"(caio f.)
pareço boba com estas frases né? nem sempre sei o que dizer, mas sei o que sinto... aí recorro a quem já disse algo que eu gostaria de ter dito, de dizer, de escutar... rs
eu gosto de ter coração, mesmo quando ele quebra, orefiro isso a ser rasa, seca e triste...
um beijo

Vâmvú disse...

Cadinho,
Sim, sim, sim... sempre há chance. É preciso acreditar nisso... Obrigadão pelo comment e pela visita. Volte sempre. Vou lá te visitar depois. Abração.

Adriano,
Sim, com certeza, mas o problema são os que a gente percebe...
Abração.

Tossan,
Obrigadão... sempre.
Abração.

Val,
Que isso...? Eu adoro teus comments, sempre. Adoro as frases que escolhes, tudo. Sempre muito sensíveis e propícias. Continue...
Brigadão. Bjsss

Beto Canales disse...

Difícil , pesado e bom.

Ricardo Valente disse...

O luto é necessário, natural e faz parte, para a elaboração da perda. Às vezes, se torna patológico (se muito prolongado) e temos que apelar para a psicoterapia. Haja coração, Vâmvú!

Bonito, o que escreveste. Pior, que para corações muito sensíveis, até aqui (internet/virtual) acabamos "malucamente" magoando e sendo magoados. Uma pena! Por isso, não é bom misturar as coisas. Palavras escritas (e ditas), nem sempre são igualmente sentidas. Forte abraço!

Vâmvú disse...

Beto,
Brigadíssimo por tua presença aqui. Sempre. Abração.

Ricardo,
Relax, meu amigo. Tô tranquilo. Já sei lidar muito bem com todas as perdas e lutos da vida. Quando são muitos e seguidos, acabamos por nos acostumar mesmo. Sai de um luto agora pouco então um outro em seguida não me faz abater. E continuo com meu coração sensível, por vezes até talvez magoando e outras tantas sendo magoado, mas prefiro continuar assim, sentindo meu coração bater dentro do meu peito... vivo!
Quanto ao perigo de se misturar as coisas, por vezes é inevitável e dai é só saber lidar, de uma maneira ou de outra, seja do jeito que for...(rs)
Não sei se vc sabe, mas sou um 'pouquinho' exagerado (rs), e até na hora de escrever e discrever os sentimentos, seja em forma de poesia ou outra qualquer... gosto dos extremos.(rs)
Brigadão por tuas palavras. Sempre.
Grande abraço!

Adriano Queiroz disse...

É, o pior são os que a gente percebe.
Ou talvez este seja mais um ingrediente de nossa jornada.

Abraços.